3 de dez de 2010

Eu tive um sonho. Nele, te vi morrer nos meus braços. E apenas assisti, sem nada sentir por ti. E depois que teus olhos passaram a fitar o vazio por um tempo longo demais, me senti mal. Mal por não sentir, por estar indiferente ao te ver partir.

Te deixando onde estava, comecei a caminhar, aparentemente sem rumo, me perguntando o motivo de teres partido e eu ter ficado aqui, sem ti e indiferente. E o caminhar me levou à um grande buraco que se abria no chão. Então me joguei. E antes de tocar o chão, acordei. E o medo tomou conta de mim.

Medo do meu sonho se refletir realidade. Medo de te ver morrer a cada diz que passa, cada segundo que perdes fazendo algo que não seja viver. Medo de que, quando finalmente te fores, eu permaneça, aqui, indiferente ao teu adeus.

6 comentários:

writer. disse...

Que texto mais triste! E que texto mais lindo! É por essas e outras que eu acredito no "valorize quem ainda está ao seu lado".
Beijos.

Thaís A. disse...

tristeza. ):


ah, obrigada pelos selos yuhul, de verdade! *-*

Thais disse...

Não diga "indiferente".
Nada é indiferente!

http://thaisacorrea.com/b/

Quareesma disse...

a indiferença é a minha arma favorita '-'

beijas, moço :*

Nayla M. disse...

ai, me deixaste triste depois dessa, ó u.u

Dejemonos sorprender disse...

Hermoso y triste..