16 de fev de 2011

Adeus

Photo: we♥it

Ainda havia tanta coisa pra dizer, mas ela já estava longe demais pra ouvir. Nem sequer olhou pra trás, parecia que não queria lembrar. Mas ele não a deteu, a deixou seguir. Diferente de como aconteceu na última vez. O pensamento lhe ocorreu e, quase que de imediato, a dor no peito, aguda e certa de que tinha que causar dor. Ele não tentou resistir por saber que seria inútil, por saber que não havia outro jeito, por saber que era melhor aquela dor que não sentir nada ao vê-la partir, sem volta.

***

Ela não queria ouvir mais nada, por isso apenas deu as costas para ele e andou o mais rápido que pode. Sabia que se ficasse mais um pouco não conseguiria partir. Nem sequer olhou pra trás, só deixaria tudo mais difícil, assim como aconteceu na última vez. Continuou: triste por ele não vir atrás; feliz por ele não tentar detê-la de novo. Ela precisava caminhar, mesmo que essa não fosse a estrada que ele caminhava. Mas lá no fundo, ela sabia que era temporário. E esperava que ele também sentisse o mesmo.

5 comentários:

Housewife disse...

Olha, a pior coisa é ir embora e a pessoa não tentar te deter...

Lindo texto!!!!!

Beeejs

Chico Ribeiro disse...

ótimo texto renan... até me imaginei 0.0 hehe

Natália disse...

E se o temporário demorar demais?

Beijo

Quaresma disse...

sempre trocamos um temporário por outro, é a lei da selva :)

beijas, meu lindo :*
<3

Raíssa Bahia disse...

"Ela precisava caminhar" Precisa de mais alguma coisa? Por que tão profundo? :'(