15 de jan de 2011

O permanecer diário

Cansa. Chega uma hora em que não se aguenta mais continuar. Então muda-se pra continuar. Não, melhor não tentar entender, é só mais uma de minhas neuras. Gosto de pensar que é só um desabafo à um amigo que sabe ouvir e reconforta com o silêncio significando compreensão. Na verdade, prefiro pensar em um jeito de não permanecer, porque cansei. cansei de quê mesmo? Ah, isso já pouco importa agora, pois o que mais quero é não estagnar. Mesmo tudo sendo bem confuso (pra você, leitor, e pra mim também), eu sei o que eu quero. Ai! Assim, não, moço. Restringe demais e o mundo tem um leque de opções a te oferecer, vai de ti decidir o que é melhor. Eu sei o que não quero. Permanecer está incluso, porque não me faz bem, porque me priva. E num mundo tão grande, isso me parece até pecado. Há tanto pra se ver/sentir/aprender/questionar que estagnar me parece errado.

E isso eu não quero, obrigado.

4 comentários:

Quareesma disse...

acho que nem querendo eu consigo ficar imóvel, a terra tá sempre girando e eu junto com ela (:

beijas, seu lindo :*

Deyse Batista disse...

Nossa senhora, nunca consigo entender como as tuas confusões parecem tanto com as minhas. Tudo tão complicado, para nós dois. Mas talvez vale a pena, se o resultado forem textos assim :)

fabiana s disse...

muito obrigada! acho que ninguém quer continuar naquela rotina que nos desgasta a vontade de viver, não é? há que alargar horizontes, olhar mais além*

Thaís A. disse...

é, confuso mesmo ):