9 de jan de 2011

Palavras [ao vento]

A cada dia que passa fica mais difícil escrever, porque parece que tudo já foi dito, mesmo que com outras palavras e por alguém que não sou eu.

Fica cada dia mais difícil não soar repetitivo a si mesmo e ao olhar alheio que, mesmo sem fazer por mal, te julga - o que não se aplica só a textos, pois a vida é mais.

A cada dia que passa eu caio em contradição, porque hoje eu tenho litros de palavras que me expressam, mas amanhã talvez só exista o silêncio na minha mente. E essa aí me prega peças, me confunde e me faz de bobo. Traiçoeira, minha mente. E eu já tentei, mas não pude mudá-la.

E a cada texto que eu escrevo me sinto mais leve e mais triste, porque minhas palavras se vão, às vezes para nunca mais voltar. E ir-se é dualidade.

Queria compartilhar esses sentimentos com alguém. Até porque, agora ou depois, eles se vão e talvez seja pra sempre. Talvez...

12 comentários:

Nayla M. disse...

todos nós que escrevemos partilhamos alguma vez desse sentimento, não estás só. gostei do "ir-se é dualidade"

Natália disse...

Também já senti isso. Achava que tudo que eu dizia estava se repetindo, mas na verdade não estavam era apenas impressão minha. Beijo

Aiko disse...

Gostei do teu texto
bonito mesmo

Tamires Buliki. disse...

E isso é que é o "escrever"...! Um dia temos tudo na ponta da língua, porém não temos um motivo. No outro temos o sentimento mais sincero, porém não conseguimos dizer nada sobre ele...
Beijo e feliz ano novo!

Tamires Buliki. disse...

Ah, outra coisa! Mudou o nome do blog de novo?! D:
haha

fabiana s disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fabiana s disse...

segundo Sócrates, - se não me engano - quando escrevemos as coisas acabamos por as esquecer; e era por isso que ele não escrevia nada, ele fazia uso da mente, e os seus seguidores é que escreviam por ele.

fabiana s disse...

oh, obrigada :) mas acho que o blog não fica lá muito bonito assim. x)

Thaís A. disse...

Quantas eu vezes eu já me senti assim... repetitiva.
Linda essa sua refelxão yuhul, mesmo.
Mas não tem como, é como uma música do Legião diz: "Palavras repetidas,
Mas quais são as palavras
Que nunca são ditas?"

desculpa a minha ausência aqui.

тαуиα Ѽ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
тαуиα Ѽ disse...

É incrivel como eu sempre me impressiono com o seu blog. Quantas e quantas vezes eu me sinto assim, repetitiva, sem palavras, sem definições. creio que seja uma experiência que todos os seres humanos já sentiram, mais ela sempre passa (; Parabéns pelo seu blog, mais uma vez. você sempre consegue impressionar os seus leitores com a sua facilidade de se expressar, e isso é encantador. Desculpa a minha ausência, mais eu vou voltar a postar sim (: tava com saudades de escrever já. IWUEOIWUE. beeeeijo.

Quareesma disse...

a vida é isso aí, um ciclo vicioso e repetitivo, cabe a cada um aproveitar das repetições pra fazer algo diferente. ;)

beijas, seu lindo :*
<3'