27 de mar de 2011

Meu problema

Meu problema é ver, é perceber. Meu problema é a insegurança do desconhecido. Meu problema são os outros, aqueles que eu insisto em afirmar que pouco me importo. Meu problema sou eu. Meu problema é o que eu vivo. O que eu não vivo também é, assim como as coisas que tenho, as que não digo, as que esqueço, as que quero. Meu problema é responsabilidade. Meu problema é tempo, que se encaixa na categoria de problemas que não estão nas minhas mãos.

Meu problema é excesso e falta: excesso de problemas, falta de soluções; falta de palavras, excesso de vazio. Meu problema é procurar me preencher, mesmo sabendo que não sou de um todo vazio, mesmo não sabendo se o vazio existe.

Meu problema é problema meu, mas que vez ou outra precisa de ajuda externa pra se resolver.

Meu problema é o maior de todos e meu problema é tão ínfimo comparado à alguns, que até sorrio quando penso nele. Até eu me lembrar que ele não vai desaparecer por apenas não ser o maior problema da humanidade. Ainda assim, vai ser problema, meu problema, aquele que é ver e perceber, que é insegurança, que são os outros e eu e ad infinitum.

2 comentários:

maria elis disse...

isso tudo não é um problema só seu e sim de toda a humanidade. '-'

beijas, minha castanha-do-pará :*
s2

Thaís A. disse...

Meu problema, sou eu.