8 de abr de 2011

Quando o tempo cumpre seu objetivo

Faz tempo. Mesmo assim, a lembrança soa tão recente que nem parece que faz tempo que a gente não se vê.

Risos e confissões e abraços e choros e momentos divididos agora são apenas passado que o tempo vai começando a apagar aos poucos. E quando vê, já nem é mais lembrança: é só um sentimento bom. Ou um sentimento de perda, dependendo do referencial. Qual vai ser o seu? Não, eu ainda não me decidi, mas uma mescla dos dois estaria de bom tamanho, porque no fim, teria certeza de que não foi um sonho e faz falta. E faz tempo. E falta tempo. E sobra vontade de risos e confissões e abraços e choros e momentos e (de) nós.

É, faz tempo que o tempo não pára.

3 comentários:

Nayla M. disse...

owwwn adorei a nova cara do teu blog *-* e o texto tbm, estás ficando grandinho :/

Thaís A. disse...

Pois é, as vezes eu me pergunto também o que a outra pessoa fará com os momentos em que dividimos...

Housewife disse...

Lindo o seu blog querido! :D

E seus textos sempre tão inspiradores! :D

Beeejs,

noobhousewife.blogspot.com