21 de nov de 2011

Parei de pensar


NOTA DO AUTOR: Devido definições imbecis da sociedade, este texto não deve ser lido por pessoas que, segundo as leis, não têm auto-proteção contra tipos de obscenidades e coisas do demônio. Ou seja, se você ainda for um seventeen (17 ou menos), não deverá ler este texto. Ou leia, e depois apague o link no histórico.

Parei de pensar. Foi, verdade. Eu parei. Agora só faço. Estou bem, faço. Não tô afim, esqueço. Minha vida é isso, e estou sendo feliz.

Não sei se isso é maturidade ou estou retrocedendo. Na verdade, nem sei o que isso vem significar pra vocês, meus leitores. Tenho 18, quase 19, e sou um jovem que quer fazer coisas legais e que as pessoas saibam quem ele é. Quer fazer o bem e ser apontado por isso. Quer fazer as pessoas felizes, mas antes ser feliz com aquilo. Sou normal. Aliás, não sou só discurso. Acho que essa é a minha diferença. Se mudo a todo instante é porque sempre acho que estou errado, sempre reflito sobre aquilo e tento melhorar, ser melhor pra mim. Se tinha um namorado e cansei dele, é porque foi o melhor pra mim. Foi o melhor pra mim cansar dele. Acho que “suguei” dele o que queria. Aprendi o bastante e ele foi “aproveitável” o bastante pra mim. É isso. Preciso de alguém “novo” pra “sugar” coisas novas.

Mas não é qualquer um. Não adianta dar em cima de mim porque fico com pessoas não 100% aleatórias. Preciso de apenas um corpo, não de confusão. Preciso de segundos de prazer e não infelicidade pro resto da vida.

O inconstante se chama Gustavo Aguiar. Uma mente que muda de definição a todo momento. Sou homo sapiens e preciso satisfazer minhas necessidades corporais. Mas sou gay, ou seja, gosto de homens, sinto prazer com pênis (entenda no plural :D). Vaginas têm formatos engraçados. Nunca consegui entender a fisiologia. Pênis são mais simples.

Não me importo se estou apresentável ou não. E odeio que me entendam eu acho. Só quando preciso. Pessoas muito entendidas e inteligentes são chatas. Quero alguém ativo (entenda “de ter ação”), inteligente o bastante, não psicólogo – o que sabe tudo, que não ligue muito pra visuais, que fique bonito com e sem barba e que goste de abraçar.

Você é assim? Envie seu currículo para selecaogustavo@gmail.com
Brincadeira, só me adiciona no face.
Ai ai, risos: são o que me resta.

__________________________________


Deixar de lado regras de "comum acordo" e falar o que sente, o que se pensa. Colocar pra fora. Já tentou fazer isso? Por que o Gustavo, mais conhecido só como AguiarLento, faz todo o dia, toda vez que encontro com ele naquela universidade de meu deus. Mas se você infelizmente não encontra com ele todo dia, pode lê-lo no Meu 7teen. 

Só tenho a agradecer pela sinceridade e pelas palavras desmedidas postadas no OUTRO INCONSTANTE, meu caro.

3 comentários:

Amanda Campelo disse...

Liiiiiindo! Gente,não tem como não se apaixonar pelo Gus.Esse guri é um fofo >.< mas isso é o que menos te faz amá-lo.Creio que a sinceridade dele é o ponto,acho que todos perceberam isso no post.Bem,se você não é um sortudo que pode te-lo todos os dias(ao menos pela manhã),morra de inveja,eu posso =)

Alberto disse...

Parabéns Gu, texto ótimo. Bem sincero, simples e direto,como você sempre foi. Mendes seu chato, adorei essa ideia do "outro inconstante".Parabéns! :D

Raíssa Bahia disse...

Essa liberdade falta à muitas pessoas. Parabéns pelo texto excepcional pela originalidade. ;D