1 de set de 2012

Uma daquelas

Photo: weheartit

Ela mentiu pra mim. E todos me dizem que eu não via a verdade porque estava apaixonado. É que eles não olhavam no fundo dos olhos verdes daquela puta. Os olhos mais bonitos e hipnotizantes que eu já vi. Olhar nos olhos dela era pior do que olhar nos olhos de Medusa. Medusa pelo menos tinha um pouco mais de piedade e transformava os homens em pedra. Mas ela não: ela os deixava vivos, pra que assim pudesse fazer qualquer coisa com quem caísse naquela armadilha que era se envolver com ela. Com ela e com seus os olhos verdes, sua boca vermelha e sua pele macia. O corpo inteiro. A perdição.

Nenhuma mulher jamais me fez sentir daquele jeito. Eu era o homem mais feliz do mundo e pouco importava o que os meus amigos ou familiares tinham a me dizer. Eu a tinha e isso bastava. Eu tinha os seus beijos, o seu tempo, sua companhia, as confissões e os segredos, os medos, o seu corpo. Eu a tinha. Pelo menos era isso o que eu pensava. Era nisso que eu acreditava, nisso que ela me fazia acreditar.

Era lindo, naquela época. Até eu chegar em casa, depois de mais um dia de rotina chata no trabalho, e encontrar o guarda-roupa vazio, assim como as gavetas e explicação nenhuma. Nenhum bilhete ou uma ligação, um rabisco na parede sequer. Apenas aquela casa vazia e meu mundo em pedaços. Encontrei também alguns “eu te avisei”, alguns “eu sempre soube” e outros “ela nunca foi boa o suficiente pra você”. Encontrei muita coisa, menos ela ou uma explicação qualquer pra ela ter me deixado.

Eu fiz algo errado? Foi culpa minha? O que aconteceu? Eu não sei. Meus amigos dizem que ela é uma daquelas garotas que sabem como seduzir um cara, usá-lo e depois jogá-los fora quando não possuem mais serventia alguma para elas. É claro que eu não quero acreditar nisso, não quero ser um idiota. Porém, quanto mais eu penso sobre isso, mais considero a hipótese de ter sido um completo imbecil, enfeitiçado pelos encantos de uma mulher irresistível.

Em minha defesa, não acredito que exista alguém na face da terra que resistiria aos encantos daqueles olhos verdes.

3 comentários:

Gustavo Ferreira disse...

Mais cuidado com olhos verdes.

Deyse Batista disse...

Fazia tanto tempo que eu não vinha aqui que eu tinha esquecido como você escreve bem. Sabe o meu problema com a maior parte dos blogueiros? Alguns às vezes tentam expressar algum sentimento que acaba saindo como se fosse um personagem. Mas você não. Eu sei que você sente, e muito; sente que transborda.
Beijos.

Anônimo disse...

E você tá reclamando do quê?
kkkkkkk
Quem me dera ter uma mulher assim, como você descreveu, pelo menos por um dia. Ou menos até, por algumas horas. Eu já me sentiria imensamente feliz, como nunca fui.
Aprenda a ser grato com a vida e com as pessoas rapaz, aprenda também que as pessoas são livres e que nada é permanente, exceto a mudança.