18 de nov de 2010

Prezada Insegurança,

ouvi dizer que você gostou da vizinhança e até está pensando em ficar mais um tempo. Não querendo incomodar, mas já o fazendo, peço-lhe educadamente para repensar seus planos.

Em alguns dias, começará uma série de eventos que pesam consideravelmente no que eu farei ano que vem (e quem sabe pelo resto da minha vida). Acho até que comentei com você em uma de nossas conversas. E desde o começo desse ano, me preparei para que tudo desse certo quando o momento chegasse. Porém, estranhamente, não me parece que obterei o sucesso esperado com você por perto.

Mesmo não querendo, mas já sendo indelicado, quando gasto algum tempo conversando com você ou quando você simplesmente passa pela rua, uma estranha sensação, a qual não consigo nomear, começa a crescer dentro de mim, fazendo-me sentir como se não estivesse pronto para o que me preparei, como se algo pudesse sair extremamente errado e todo o meu esforço não fosse suficiente para alcançar meu objetivo.

Perdoe-me pela franqueza, que provavelmente não a deixará muito feliz, mas eu precisava lhe contar o que sinto (e que, álias, também não me deixou lhe falar pessoalmente). Veja o que pode fazer por um velho conhecido que já não sabe o que fazer.

P.S.: Considere também que essa época do ano é a mais quente da região.

Respeitosamente (se é que o fui),
seu conhecido.

7 comentários:

writer. disse...

Ótimo texto, haha, adorei o modo como tratar de um sentimento como uma pessoa, muito bem escrito!
Beijos.

Quareesma disse...

espero que ela tenha lido o bilhete e entendido o recado ;)

--
obrigada pelo selo, querido.

beijas :*

. pamela moreno santiago disse...

dá uma passadinha no meu que tem post novo *-*

beeeijos ;*

Natália disse...

Desculpe-me, mas vá embora de uma vez. beijo

Nayla M. disse...

gostei, né? pra variar sadhdads
queria te agradecer pelo selo, fiquei lisonjeada, gosto da tua escrita e fico feliz com esse carinho, brigada mesmo, quando eu tiver um tempo frouxo vou te agradacer como se deve
um abraço seguro.

Nayla M. disse...

não gosto de ficar em dívida e tenho medo de não ter tempo, então resolvi te agradecer logo hasdud, quando puder vai no meu blog :B

Betina. disse...

Complicadíssimo! rs' mas eu chego lá ;)
Adorei o texto. Insegurança é mesmo uma pedra no caminho, eu sofro disso quase sempre. Força e boa sorte! ^^
beijos