6 de fev de 2012

Vontade repentina de palavras

Ontem cheguei em casa com vontade de escrever um livro. Não que eu nunca tivesse pensado nisso - é um desejo que tenho vontade de realizar -, mas parece que ontem isso se intensificou, junto com uma vontade de ler novos livros, de escritores que ainda não li, que escrevem sobre coisas que não constumo ler. Tive uma imensa vontade de palavras.

Queria poder chegar em casa, tomar um bom banho, preparar uma xícara de chocolate bem quente pra aquecer da chuva que tem caído diariamente e escrever. Escrever e escrever uma história bonita, sem muitos personagens, mas com um enredo envolvente e que tratasse de assuntos cotidianos, vividos por mim, por meus amigos, por desconhecidos. Queria escrever o livro de uma só vez, sem pausa para correções ou revisões; apenas terminá-lo.

Ri sozinho quando me dei conta dessa vontade. Já tentei inúmeras vezes escrever um livro e sei que as coisas não funcionam desse jeito, é completamente diferente. O processo de escrever um livro, algo bem mais longo e planejado do que um simples texto de blog, precisa de tempo e paciência. Precisa um pouco de estudo e um pouco de muita imaginação, só pra começo de conversa. Precisa de elaboração cuidadosa de personagens, objetos, lugares e acontecimentos, para que tudo faça sentido - mesmo que muitas histórias sejam sobre não fazer sentido -, para que a história se torne algo sólido e completo. Escrever é complexo, por mais simples que seja a história que você queira contar.

Um dia, talvez, eu consiga pensar em todas essas coisas fundamentais. Impossível não é. Basta um pouco mais do que apenas uma vontade repentina de querer escrever coisas, assim sem mais nem menos. Talvez basta só essa vontade se prolongar um pouco mais, dando tempo (e impulso) pra me ajudar a trabalhar. Quem sabe assim consigo escrever e elaborar algo maior que um texto de blog? Aliás, um texto de blog já me deixa feliz o suficiente por conseguir fazer o que muitos não conseguem.

Tive uma imensa vontade de palavras.

4 comentários:

Suzi C.L. disse...

Na verdade, sim, escrever um livro parece ser muito trabalhoso. Eu mesma tenho esse desejo,mas, não tenho um lugar apropriado pra isso (para você ter uma noção, o horário mais calmo,aqui em casa, é quando todos estão dormindo. Mas, não ia adiantar mesmo, já que não tenho tido muita inspiração ultimamente...). Ah,sim, essa coisa de pesquisa, é preciso. Requer dedicação, e um monte de coisas. É muito diferente do texto publicado num blog porque é mais apurado,refeito, e longo. E, outra, ninguém publicaria um romance num blog (NUNCA).
Anyway, boa sorte com a escrita. Escreva, escreva,escreva. Praticar ainda é o melhor negócio quando se quer começar algo.

Suzi
http://emyhouseplus.wordpress.com/

Deyse Batista disse...

Você acabou de resumir o maior dilema da minha vida: a impossibilidade e a vontade de realizar o desejo de por em palavras o que se passa no coração. Quem sabe um dia, não?

Anne Beatriz disse...

Escrever um livro é o sonho de consumo da minha vida. Queria ter esse dom das palavras e conseguir fazer tudo fluir. Eu sei que é difícil, e não peço para ser nenhuma JK Rowling. Ser a Meg Cabot já me deixaria mais feliz do que eu posso imaginar.

Anne Beatriz disse...

Já ia brigar contigo por não ter atualizado o blog, mas lembrei que eu não tenho esse direito depois de tudo que o Veneno de Fada Mordente já passou, hihi.

Mas apareça!