18 de mai de 2012

Lar

Photo: weheartit
Mais um dia de trabalho. Rotina. Confesso que meu trabalho se tornou cansativo. Não estou onde eu queria. As pessoas vivem dizendo pra gente escolher trabalhar com o que a gente gosta. Elas só esquecem que às vezes o que a gente gosta não é uma opção válida. Mas eu acredito que estou no caminho certo. É tudo etapa. Um dia, eu sinto, eu vou me sentir completamente realizada. Hoje, eu só quero chegar em casa, tomar um banho e dormir. Esse é o grande problema.

Eu abro a porta do apartamento, olho a sala de estar. Eu estranho. Eu mesma decorei as paredes, os móveis, a mesa de centro. Tudo pra que parecesse com o que eu costumava considerar meu lar. Mas não é a mesma coisa, eu sinto. Eu sinto falta.

Como se não me bastasse a rotina cansativa e nada prazerosa, ainda chego em “casa” e não me sinto bem-vinda. Não sinto o aconchego que deveria ser meu abrigo; não sinto aquela sensação de conforto quando chego à portaria do prédio; não sinto aquela sensação de alivio que deveria ser estar em casa. Eu não estou. Esse não é o meu lar. Não é o que eu mais preciso hoje.

Mas hoje, assim como em muitos dias, eu chego cansada demais pra me preocupar com isso. Só quero deitar e dormir. Descansar eu sei que não vou. Nem todo o sono do mundo vai me fazer acordar com a leveza de ter dormido em casa. Eu não estou em casa.

Mas isso é temporário. Dia desses eu começo a trabalhar com o que eu realmente gosto, deixo essa rotina entediante e cansativa pra trás. E aí quem sabe eu volte pra minha casa de fato, onde eu realmente pertenço. Por ora, só quero deitar um pouco e fechar os olhos. Descansar só mesmo no meu lar. É tudo etapa, eu sei que é...

5 comentários:

Mayara Costa disse...

Eu senti esse texto. Eu sinto.

Mah Jardim disse...

Me identifico com a sensação de "não pertencer", não necessariamente na minha casa, mas "não pertencer" a outros lugares.

Raíssa Bahia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raíssa Bahia disse...

E é muito bom poder voltar pra casa melhor, com as asas maiores e melhores do que as que nos acompanharam na saída. O que importa é sempre voltar. :)

Anne Beatriz disse...

"As pessoas vivem dizendo pra gente escolher trabalhar com o que a gente gosta. Elas só esquecem que às vezes o que a gente gosta não é uma opção válida."

Quero só saber se tu andaste praticando legilimência comigo pra fazer esse texto.