25 de mai de 2012

Não reação


Photo: weheartit

Ele caiu bem na minha frente e eu não fiz nada. Eu não conseguia. Eu juro que tentei, juro que queria poder fazer algo pra salvá-lo, mas não consegui. Não me diga que eu podia ter feito diferente, porque você nunca entenderia o que se passa na minha mente toda noite que encosto a minha cabeça no travesseiro e aquela avalanche de lembranças e lamentos me afogam. Fica difícil respirar. Eu tento e tento, com a mesma intensidade que tentei salvá-lo, mas dificilmente eu consigo. Aí o travesseiro amanhece salgado, encharcado de lágrimas e lamentos. E amanhece mais um dia em que não consegui descansar um minuto sequer pensando que podia ser diferente: podia ter sido diferente naquele momento, então seria diferente agora. Assim eu não precisaria ter de ingerir sono em pílulas pra poder conseguir dormir um pouco, pra poder viver um pouco. Sempre um pouco. Nunca vai ser do jeito que era antes. Tudo vai ser um pouco do que era antes. Menos esse sentimento de impotência e lamentação, que só surgiu quando ele caiu bem na minha frente e eu não reagi.

2 comentários:

felipe_matheus18 disse...

Olha, viajei. Gostei do texto.

Raíssa Bahia disse...

Tarde demais.