24 de out de 2012

Dual

Photo: weheartit

Eu não quero mais. Ao mesmo tempo, não consigo querer outra coisa. Como seria bom não mais sofrer quando tu não estás perto toda vez que eu te quero. Ah, mas eu sofreria ainda mais se não tivéssemos os nossos poucos momentos juntos. Eu quero fugir para algum lugar bem longe daqui, só para ver se eu esqueço tudo e meu coração finalmente fique em paz. Mas eu sei que se eu for, no meio do caminho eu vou gritar teu nome e correr de volta pros teus braços, me sentindo mais sozinho e precisando de ti do que quando eu fugi. Eu não quero mais ter que conviver contigo, mas eu sou obrigado a isso todos os dias. E me pego agradecendo aos céus por eu estar preso a ti de alguma forma, pelo menos por mais um tempo. Não sei como vai ser depois que esse tempo acabar, ou quando eu finalmente vou poder tomar minha decisão e colocá-la em prática sem que forças externas me impeçam disso. Mas nesse momento, tu és a dualidade mais confusa que já me apareceu na vida.

Um comentário:

Mayara Costa disse...

Eu sei como é. Lindo texto!