16 de dez de 2012

Amontoado


Sou do tipo que não supera completamente. Sofro e choro na hora, mas sempre guardo um pouquinho pra depois. Hoje eu choro por não ter conseguido algo que eu queria muito, mas eu também choro por aquele amor que não deu certo, aquele que tinha tudo pra ser perfeito, mas nem ao menos começou, até por aquele que só eu senti. Junto com o motivo do meu choro de hoje, vem também o melhor amigo que se tornou um estranho e a dor do braço quebrado na infância, pouco antes de quebrar meu coração pela primeira vez. Hoje foi um familiar que partiu, mas também é apenas alguém que não me disse “oi”, uma mensagem não respondida, um último beijo, um último abraço, um adeus. Foi o livro que eu emprestei e que voltou com a capa toda amassada. Foi a confiança que eu depositei e simplesmente foi quebrada como aquele meu disco favorito. Ai, o meu disco favorito! Foi uma notícia ruim numa tarde ensolarada, foi a chuva que caiu antes da minha festa de aniversário começar, foi a vida que parece injusta na maioria das vezes e também foi só o fato de querer estar em outro lugar quando não se podia.

E assim eu vou guardando o que eu deveria deixar pra trás, deveria esquecer ou quem sabe rir. Uma hora eu me machuco de novo e trago de volta tudo isso à tona. Sim, eu também me pergunto o motivo. Algum palpite?

Photo: weheartit

2 comentários:

Jéssica Trabuco disse...

Seguir em frente, as vezes, faz bem!

Andorinha disse...

Mas seguir em frente é deixar sempre o que está lá trás pra trás? Não sei... Talvez seja saber lidar com o que se foi, com o que aconteceu, e isso não significa excluir essa parte do seu presente. Aliás, você não é só presente.
Trazer de volta todas as dores ao mesmo também faz doer ainda mais. Eu faço o mesmo. Parece que é o dia, o momento. Tudo vem e deixa o tudo bem. Talvez seja coisa que as próprias dores criaram na gente. Um espaço pra elas. Um momento pra elas. Ninguém é feliz a vida inteira, todos os dias. (Aliás, felicidade é o quê? Ser ou estar?)


(Apesar de tudo,)

Um sorriso da Amélie pra você, moço.