10 de nov de 2013

O acaso da criação

Photo: Tá no Mutável, mas quem dera fosse minha.
Acho incrível o motivo de alguns textos nascerem. Pelo menos comigo, a maioria deles nasce do acaso. Não é que eu nunca parei pra pensar sobre os fins dos meus relacionamentos ou sobre a saudade de que eu sinto das pessoas ou ainda sobre como cada uma delas desperta algo diferente em mim. A questão é que, desde quando eu comecei a escrever, eu passei a pensar nos temas do meu texto meio que sem querer. Foi um olhar de alguém na rua que me lembrou de uma pessoa que um dia foi muito importante pra mim. Foi uma frase dita por um estranho no ônibus que me fez pensar o quanto gastamos tempo e energia reclamando de tudo e de todos e fazendo pouco pra mudar o que nos incomoda. Foi uma imagem, uma música, um gesto que me fez lembrar aquele meu antigo caso ou que me fez passar horas imaginando a história de uma pessoa e, a partir dela, criar minhas próprias histórias. Eu acho no mínimo curioso o jeito como esses meus textos surgem. Não sei se acontece com todo mundo ou esse é meu jeito de escrever, só sei que acontece assim. Só espero que o acaso se faça presente por muito tempo na minha vida. Ele tem me feito um bem danado, literariamente falando.

2 comentários:

Bruno Eleres disse...

Meus textos nascem assim como nós, sem nem perceber. De repente, bum!, já estão aqui.

Como sempre, gostei do post. Não sei ainda porque não venho com mais frequência ler as tuas coisas. Sério. Acho que devo ser meio burro.

Suzi (Vulgo, Emilie) disse...

"O Acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído", já dizia a música. Olha eu adoro fazer as coisas sem ter um rumo certo. Mas, em casos muito particulares eu dou a sorte de ter um momento de "inspiração" por acaso....