28 de jul de 2014

A luta diária de Paula

weheartit
A luta diária de Paula começa antes mesmo de abrir os olhos. Basta acordar, ainda com as pálpebras cerradas, pra ter certeza de que preferia ter continuado dormindo. Por que levantar? Qual a necessidade de sair do lugar mais aconchegante que existe no mundo? Um absurdo quem inventou essa história.
Pensar em tudo o que ela precisava fazer durante o dia deixava tudo mais difícil. Inclusive parecia que a cama sabia de todos os compromissos de Paula e teimava em deixar os lençóis e travesseiros ainda mais confortáveis. Quase uma missão impossível sair dali.
Paula não queria trabalhar, encontrar os amigos, não queria pensar muito. Falando em trabalho, imagina o quão bem-sucedida Paula seria se trabalhasse dormindo? Melhor emprego do mundo, empregada do mês, do ano, não teria pra ninguém. Mas isso não existia – ou pelo menos ela não tinha conhecimento desse trabalho (mas era uma boa ideia pesquisar no Google se existe alguém que ganha dinheiro dormindo).
Passou tanto tempo tomando coragem pra levantar que sentiu fome. Foi aí então levantou da cama.

2 comentários:

Deyse Batista disse...

Como sempre, os teus textos me dizendo muito além do que está meramente escrito. Consegui enxergar mil interpretações em algo tão simples e, como sempre, me identifiquei com todas elas.
Beijos.

Nati disse...

Minha mãe se chama Paula e ela é assim também.
Todo mundo queria ganhar dinheiro dormindo, ou fazendo o que gosta, porém a maioria, por causa da precisão escolhe a primeira opção e não consegue nunca sair da cama. Beijos