14 de out de 2011

Minhocas na cabeça

Desculpa, mas eu não tô mais prestando atenção no que estás falando. Eu vejo nos teus olhos (e no reflexo das lentes dos teus óculos) o quanto apaixonado és por tudo que estás me contando; percebo teu interesse e empolgação, mas estamos em momentos diferentes.

Queria muito conhecer e entender mais sobre isso, mas minha cabeça tá longe, longe. É porque ando cheio de coisas me preocupando. Alguém me disse que ando com minhocas na cabeça... Coisas da vida, né? Mas sempre chega uma hora em que se sente o peso de estar sobrecarregado, de não ter tempo suficiente pra dar conta de tudo.

É minha responsabilidade, eu sei. E eu tô tentando levar a sério essa minha nova vida corrida. Só que tentar  nunca foi certeza de sucesso, principalmente quando não se põe o seu máximo na tentativa. É difícil quando não se tem um estímulo que te empurre, ou quando a recompensa só vem a longo prazo. Temos que ser pacientes, meu caro. E paciência é virtude de poucos.

Eu não tô desistindo, não. Não, agora. Até porque faz pouco tempo que começaram a surgir minhocas na minha cabeça. E eu sei que consigo aguentar mais um pouco.

3 comentários:

Gustavo Ferreira disse...

É, amigo... Eu sei muito bem. Bacana fazer parte disso. (Y)

Aluada disse...

- esse a longo prazo que por vezes me mata...

u.u
*saudades

quaresma. disse...

a gente sempre aguenta mais um pouco, sempre.! (:

beijas, castanha do pará ;*
s2